noticiareiq

 
 

Entidades Sindicais Patronais do Rio Grande do Sul, Bahia, São Paulo e Rio de Janeiro, criam o CESIQ – Conselho de Entidades Sindicais Patronais da Indústria Química

 

Diante de um cenário nacional recente bastante atribulado no âmbito econômico, energético, tributário e de abastecimento, principalmente com relação à indústria química nacional, as quatro maiores entidades sindicais patronais do setor decidiram se unir e formar o Conselho das Entidades Sindicais da Indústria Química (CESIQ). Compõem o Conselho: o Sindicato das Indústrias de Produtos Químicos para Fins Industriais, Petroquímicas e Resinas Sintéticas de Camaçari, Candeias e Dias D’Ávila (Sinpeq), o Sindicato das Indústrias Químicas no Estado do Rio Grande do Sul (Sindiquim), o Sindicato das Indústrias de Produtos Químicos para Fins Industriais e da Petroquímica do Estado de São Paulo (Sinproquim) e o Sindicato da Indústria de Produtos Químicos para Fins Industriais do Estado do Rio de Janeiro (Siquirj).
 
O intuito da criação deste Conselho é o de atuar em conjunto com a Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim) ressaltando a importância do setor químico perante a Sociedade, buscar o fortalecimento da indústria química no país, sobretudo as de pequeno e médio porte, visando a diminuição da dependência de importações ao estimular o uso de produtos químicos com fabricação nacional em setores da economia onde o país possui vantagens competitivas. Além disso, o CESIQ se constrói como um espaço de debates sobre a realidade das entidades sindicais, com troca de experiências sobre a atuação destes sindicatos. É por isso que o Conselho se mantém aberto a quaisquer entidades sindicais patronais de outros estados, que tenham como área de atuação preponderante, a de produtos químicos.
 
Em uma de suas primeiras importantes atuações, o CESIQ garantiu participação no grupo de trabalho da Abiquim focado na elaboração de um plano estratégico da entidade para os próximos anos. Esta decisão foi definida no último dia 7 de junho, em reunião com o presidente do Conselho Diretor da Abiquim, João Benjamin Parolin, e com o presidente-executivo da entidade, Ciro Mattos Marino. Na ocasião, o CESIQ, representado pelos seus membros: presidente do Sinpeq, Roberto Fiamenghi; do Sindiquim, Newton Mário Battastini, do Sinproquim, Nelson Pereira dos Reis, e do Siquirj, Isaac Plachta, indicou – atendendo ao convite da Abiquim – o diretor-executivo do Sinproquim, Renato Endres, como representante do Conselho no referido grupo de trabalho da Associação.
 
Em um momento tão adverso no país, não apenas com relação ao rumo de uma pandemia que se prolonga por mais de um ano, mas também sobre as incertezas em relação ao futuro da energia elétrica no Brasil, tanto pelos riscos de um “apagão” e as necessidades de racionamento, como pelos desdobramentos da privatização da Eletrobras, é de suma importância que as entidades elucidem o valor da indústria química para a economia nacional, evidenciado pelo entrelaçamento que existe entre este setor e a produção de inúmeros produtos de uso básico, nas mais diversas atividades. É neste contexto que o CESIQ atua, buscando parceria com entidades, com o objetivo de esclarecer para membros do Executivo, Legislativo, formadores de opinião e público em geral, o papel e a importância da química, para um futuro de prosperidade e estabilidade.