Oportunidade para o Rio de Janeiro

O gás natural é um insumo de grande importância, capaz de movimentar toda a nossa indústria, seja como matéria-prima, seja como combustível. O preço final deste produto depende do custo de extração da molécula da camada onde está a jazida do gás, dos impostos e das margens dos distribuidores. No caso brasileiro, a baixa oferta, o mercado sem concorrência e a extração offshore faz com que o preço do insumo seja um dos mais altos do mundo, afetando diretamente a competitividade da indústria brasileira.
O Siquirj sempre se posicionou a favor de uma nova legislação que propicie um ambiente de negócios mais favorável aos investimentos privados e o aumento da concorrência, para mitigar os efeitos negativos, do alto custo de extração, consequência da origem marinha do gás.
O Governo Federal lançou, nesta última semana de junho, um roteiro para a abertura do mercado de gás natural no país, na prática, sob monopólio da Petrobras. Há expectativas de 40% de redução do preço atual do gás natural, em três anos. Segundo dados do Ministério da Economia, se a queda chegar a 50%, o Brasil terá ganho de 10,5% na economia.
Dentro deste contexto, surge uma grande esperança para o Estado do Rio de Janeiro. Sendo o principal produtor do gás, é também o principal consumidor. A alta produtividade do pré-sal deve ampliar ainda mais a oferta do gás, que aliada a uma nova legislação, com devido apoio do Governo do Estado, tende a trazer de volta ao Rio sua competitividade e o desenvolvimento econômico, travado pela situação fiscal.
O Brasil poderá viver um novo momento; principalmente o Rio de Janeiro, atraindo investidores para novas oportunidades, ampliando a produção, favorecendo a oferta de empregos e o mercado consumidor em geral.
O Siquirj permanece atento às novidades e espera o apoio do Legislativo para regulamentação deste importante passo para a economia nacional e estadual.