De janeiro a abril deste ano, o Consumo Aparente Nacional (CAN), que mede o comportamento da demanda doméstica (produção + importação – exportação), apresentou expressivo aumento de 7,1%. No entanto, a produção e as vendas internas não acompanharam essa alta. Assim, a maior parte do aumento do mercado foi atendida por elevações nos volumes importados, que subiram 29% no mesmo período. O cenário atual de elevada ociosidade das plantas locais e de aquecimento do mercado interno apresenta-se como um campo de oportunidades para o crescimento da indústria nacional, incentivado pelas recentes ações do Governo Federal, como a publicação da MP 613, que estabeleceu a redução das alíquotas do PIS e da Cofins de matérias-primas petroquímicas.


As medidas favoráveis chegam em um momento crítico para o setor químico do País. Segundo dados da ABIQUIM, a produção e as vendas para o mercado interno tiveram redução, em abril de 2013, de -3,13% e de -0,8% respectivamente, em relação ao mês anterior. Também em abril, o índice de preços teve elevação de 0,2% em um mês e o nível de utilização da capacidade instalada ficou em 83%.


Entretanto, as perspectivas para o segmento sinalizam momentos mais animadores. Além da MP 613, outras importantes questões defendidas para o setor estão com prazo definido pelo Governo Federal, conforme divulgado nas “Agendas Estratégicas Setoriais”, no início de abril, como incentivos aos investimentos e à inovação e uma política de utilização para o gás natural como matéria-prima.


Fonte: ABIQUIM