No último dia 14, foi realizado no SIQUIRJ, um encontro com o economista Livio Ribeiro do Sistema FIRJAN, para abordar a Conjuntura Econômica, como resultado de Índice de Confiança e Sondagem Industrial.

 

Iniciando o encontro, Isaac Plachta, presidente do SIQUIRJ, apresentou o economista Livio Ribeiro da FIRJAN, agradecendo pela disponibilidade, ressaltando a relevância do tema para revelar o que, efetivamente, está preocupando os empresários.

 

Livio Ribeiro iniciou expondo os resultados do Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) que se encontra em baixa, nos mesmos patamares da crise de 2008. Após gradual deterioração, o índice para o caso do Brasil chegou a pontos abaixo da época da crise de 2008 (47,6 para 46,4). No caso do Rio de Janeiro, o índice se mantém um pouco acima (45,7 para 47,4), pois o empresário fluminense se mantém otimista quanto ao momento atual, mas sendo pessimista quanto ao futuro, visto que há um entrave para o segundo semestre: a falta de demanda.

 

Em seguida, apresentou a Conjuntura Econômica nacional expondo que há contração na atividade da indústria de transformação e uma franca desaceleração do mercado de trabalho. A porcentagem do PIB correspondente ao setor externo retornou aos patamares de 2002, entrando em um cenário de aumento na taxa de juros acompanhado de crescente inflação. Livio comentou que os preços administrados andavam por volta do IPCA, mas no final de 2013 atingiram níveis muito abaixo, elevando a inflação para 5%.

 

Ao término, Livio Ribeiro apontou o cenário do Banco do Brasil para 2014/2015, os preços administrados em 5% (2014) e 6% (2015), o IPCA em 6,26% (2014) e 6,25% (2015), comentando que para atingir os níveis oficiais deverá ocorrer uma recessão nos empregos e/ou uma deflação de alimentos, mostrando que 2015 deve ser um ano para guiarmos o ajuste, e não sermos futuramente guiados por ele.