Em um cenário de alta de juros para controlar a inflação, com perda de ritmo do consumo e mercado de trabalho desaquecido, a Confederação Nacional das Indústrias projetou desempenho mais pessimista para o setor industrial. A perspectiva para o PIB do setor é de crescimento anual de 1%, ante projeção de 2,6% no cenário traçado no 1º trimestre. Se confirmados esses resultados, haverá melhora em relação a 2012, quando o setor industrial teve retração de 0,8% frente o ano anterior.

 

“A economia encontra dificuldades para se recuperar porque o principal motor nos últimos anos, a expensão do mercado de consumo, não se sustenta num horizonte mais longo. São necessários mais investimentos e estímulos para o aumento da competitividade”, disse Flávio Castelo Branco, gerente executivo de política econômica da CNI.

 

“Há, com o real mais desvalorizado, um incentivo às exportações. No entanto, os efeitos do câmbio só devem aparecer em seis meses, se mantido o patamar de desvalorização”, diz o gerente.

 

Fonte: Valor