O presidente da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), Jorge Picciani, esteve presente no dia 17, em uma reunião almoço, realizada na FIRJAN, para um debate sobre as dificuldades econômicas que o estado e o País vem atravessando e como a indústria vem sendo afetada. Estiveram presentes o presidente do SIQUIRJ, Isaac Plachta, o presidente da FIRJAN, Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira, deputados estaduais e empresários fluminenses.
Eduardo Eugenio lembrou que de acordo com levantamento da FIRJAN, de tudo que a indústria de transformação produz 45,4% são recolhidos em impostos. Citando projetos de leis que serão votados nos próximos dias, como o PL 153, fez um apelo para que não haja ainda mais aumento de carga tributária para as empresas.
“O Rio de Janeiro, o País está numa situação complicada. Precisamos de equilíbrio no diálogo, que vocês entendam as necessidades dos atores sociais. Somos solidários ao problema que a economia está enfrentando, mas não podemos lidar com ainda mais aumentos de impostos”, afirmou. O presidente da FIRJAN reiterou ainda seu apelo por um pacto pela governabilidade, feito em encontro com o vice-presidente da República, Michel Temer.
Jorge Picciani acredita que a Alerj, junto com a FIRJAN e outras instituições que representam o Rio de Janeiro, tem experiência acumulada para ajudar o Brasil a enfrentar essas dificuldades. Segundo o presidente, a questão da carga tributária será pensada com muito cuidado pelo legislativo. “Vamos conduzir esse assunto para encontrar um ponto de equilíbrio, compreendendo as necessidades do Estado, mas também considerando o momento de dificuldade que vivem as empresas”, disse.
Para Picciani, aumentar os impostos nem sempre é sinônimo de aumentar arrecadação. “Quando conseguimos fazer políticas públicas que reduzem impostos, aumenta-se investimento e aumentando investimento aumenta-se arrecadação. Nem sempre isso é fácil, mas o melhor caminho é o diálogo”, acrescentou, lembrando ainda que a FIRJAN tem assento permanente na Assembleia para debater os assuntos relacionados às necessidades da indústria fluminens